Lua Cheia Virgem-Peixes

Lua Cheia Virgem – Peixes


As Penumbras Partes De Nós Mesmos

A Lua Cheia de Virgem-Peixes traz-nos à consciência a polaridade tensa do eixo existencial entre os domínios espiritual e material, interno e externo, iniciada na Lua Nova de Virgem onde a realidade da vida interior se cumpriu como uma tarefa importante da maturidade humana no seu percurso de aperfeiçoamento evolucionário. Para os que apenas têm vindo a avaliar a sua existência mediante as suas habilidades externas, as posses materiais e os resultados palpáveis dos seus actos, muito provavelmente esta Lua Cheia veio desenterrar de modo algo abrupto uma certa raiva contida.

Quando interna e inconscientemente nos recusamos a amadurecer o fruto do Amor Divino em nós, essa recusa, de reconhecimento da necessidade natural de expressar o amor, torna-se tão fatal que não nos deixa libertarmo-nos dos medos e inseguranças que nos têm vindo a limitar desde cedo. Essas feridas que trazemos, presas, do passado e que se revelam por padrões de comportamento demasiado formais ou violentos, ou ainda através de respostas ou da permanência em estados infantis, mais tarde ou mais cedo, de uma forma ou de outra, acabarão por se revoltar e selvaticamente manifestarem-se.

alt AS PENUMBRAS PARTES DE NÓS MESMOS

Lua Cheia Virgem-Peixes

Esta é pois, a exemplo de outras recentes, mais uma boa oportunidade para uma reflexão profunda sobre as penumbras partes de nós mesmos que necessitam de compreensão, aceitação e integração. Mas, já não é suficiente ir lá limpar, chorar e sarar. É necessário sim, preencher esse vazio com amor, através de um dedicado e honesto serviço diário de entrega e alimento aos outros, á vida. É a mudança do paradigma da escassez pelo paradigma da abundância. Deixarmos de estar focados não tanto nas nossas necessidades, mas mais no que temos para oferecer.

Esta potente e dramática lunação, distintamente propõe-nos uma melhor compreensão dos universo e do importante significado de cada momento da nossa existência terrena. Tal e qual como “a beleza está nos olhos de quem a vê”, certamente este será um bom momento para podermos de uma forma consciente, agora que tudo na natureza se torna mais calmo, sentar, relaxar e respirar profundamente os cheiros do Outono a aproximar-se, antes de propriamente comentar ou julgar o que quer que seja. Seremos beneficiados se expandirmos a visão geral de nós mesmos, colocando-nos nos olhos da águia que do alto e à distância compreende amplamente qual a melhor situação e acção mais adequada a tomar.

Este exercício leva-nos a um outro nível de perspectiva, em que os detalhes de qualquer conflito desaparecem em favor de um ponto de vista intuitivo e consciencial sobre o que está realmente a acontecer. Uma vez alinhados com o nosso Eu Superior entramos confiantes em sincronia com a leis que regem a vida, em que nada acontece por acaso e que tudo acontecerá na hora certa.

Saudações d`Alma no Doce Amor Divino!

Deixe-me a sua opinião. Bem-Haja!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s